Rampa da Penha: Manuel Correia foi o mais rápido em dia atribulado

0
222

As condições meteorológicas forçaram a várias alterações e razões de segurança levaram mesmo ao encurtar do programa.

49 pilotos, dos quais 43 incluídos no Campeonato de Portugal de Montanha JC Group e 6 integrados na Rampa Regional incluída no programa competitivo, foram admitidos à partida, após as verificações técnicas e documentais.

Uma lista de participantes que primava não só pela quantidade mas também pela qualidade, conseguindo atrair milhares de espetadores que, apesar da previsão de mau tempo, marcaram presença na Penha para seguir o arranque do campeonato.

Uma manhã praticamente com céu limpo, ainda deu esperança de que o tempo desse tréguas à competição mas tal não sucedeu e à hora prevista para o Warm Up já a chuva tinha feito a sua aparição e, ao longo da tarde, foram raros os momentos em que não caiu.

E esse seria o fator decisivo para que as quatro subidas previstas, incluindo a primeira de prova, não viessem a acontecer na sua totalidade, com a competição a ser interrompida logo na segunda subida do programa, correspondente à primeira de treinos cronometrados, apenas após 10 dos 49 pilotos presentes terem logrado passar a linha de meta.

Pelo meio, vários toques forçaram a algumas interrupções e fizeram mesmo com que vários pilotos não realizassem a subida em ritmo normal, sendo por isso muito relativa a hierarquia de tempos.

Uma verificação minuciosa do traçado por parte da direção de prova levou ao cancelamento do que faltava cumprir no programa de hoje.

Mas vamos ao que de competição viveu esta jornada atribulada.

Manuel Correia impôs a potencia e as 4 rodas motrizes do seu Ford Fiesta R5+, realizando a melhor marca, com um registo de 1’45”672, à média horária de 94,7 km/h. Liderou a tabela absoluta e foi, obviamente o melhor da Categoria Turismo.

Estreante absoluto nestas lides da montanha, João Barros contribui para provar que a tração total dava uma vantagem clara nas condições enfrentadas pelos pilotos, ao ser o segundo mais lesto, sendo apenas 450 milésimas de segundo mais lento do que correia, no seu Ford Fiesta R5 que usa nos ralis.

E o festival 4X4 continuou, com Hugo Gonçalves a ser terceiro absoluto, aos comandos de um Subaru Impreza, gastando mais 3’106 para cumprir a subida.

O primeiro Protótipo aparece na 6ª posição da geral. Nuno Guimarães (BRC CM) passou a célula de cronometragem com o registo de 1’51”597.

Nos GT, foi Gonçalo Manahu e o Porsche 997 GT3 a rodar mais rápido. O registo de 1’54”416 deu-lhe a 8ª posição da geral.

Entre os Clássicos, Aníbal Rolo aproveitou o piso molhado da melhor forma e foi o mais rápido. O seu Datsun 1200 permitiu-lhe ser 23º da geral, com o tempo de 2’07”286.

Na Taça de Portugal de Montanha 1300  Armando Freitas (Toyota Starlet) realizou a melhor marca, enquanto Abel Marques (Autobiachi A 112 Abarth) repetia o feito entre os concorrentes da Taça de Portugal de Clássicos de Montanha 1300.

Para amanhã, ficam agora as 3 subidas oficias de prova, antecedidas de uma subida oficial de treinos, que terá início às 10 da manhã.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here