Jacobo Senin impôs a sua lei no primeiro dia em Boticas

0
533

A sétima e última prova da temporada arrancou com um dia de muita animação, sempre com um bom ritmo organizativo e com duelos acesos, sobretudo nos títulos que ainda estão em aberto.

Só deu Jacono Senin durante a tarde de sábado em Boticas. O piloto de Santiago de Compostela, que tinha vencido a prova do Campeonato de Portugal de Montanha integrada na Rampa Internacional de Boticas, disputada em maio último, impôs o seu Norma M20 FC em três das quatro subidas do programa da rampa organizada pelo Demoporto e, principalmente fê-lo na única subida oficial de prova do programa, onde rodou em 2.19.609, à média de 131,76 km/h.

No duelo pelo título absoluto, José Correia foi o mais lesto na Osella PA2000 EVO-2, registando o segundo melhor tempo, a 2,4 segundos de Senin, enquanto Hélder Silva optava por uma entrada cautelosa com o BRC BR53, sendo quinta na tabela de tempos, o que correspondeu ao segundo posto entre os que pontuam para o CPM.

O pódio absoluto de tempos incluiu outro piloto espanhol. César Alonso (Osella PA 21 JRB) foi apenas duas décimas de segundo mais lento do que José Correia, sendo terceiro.

Logo atrás, Miguel Matos voltou a brilhar com o GRIIIP G1-17, realizando a quarta melhor marca, a 4,3 segundos de Senin, ele que compete na recém-criada Taça de Portugal de Monolugares de Montanha.

Também Nelson Andrade voltou a privilegiar o espetáculo com o seu kartcross AG1000.

Com a questão da taça reservada a esse tipo de bólides, o “Furacão da Madeira” apontou à luta dos tempos da geral e, mesmo numa rampa que não lhe é favorável, rodou na parte da frente do pelotão.

Na “guerra dos GT” Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 CUP) foi o mais forte na subida de prova, sendo de destacar que parte para o segundo dia tendo na sua “cola” a regressada Gabriela Correia, que assinou uma exibição de fino recorte aos comandos do Mercedes AMG GT-4. 2,1 segundos separaram-nos após este primeiro dia.

Pedro Marques encarou o dia inicial da rampa com notórias cautelas. Sabendo que é favorito nas contas do título, o piloto do Porsche 991 GT3 Cup da Mobycar fez o terceiro tempo, a pensar nos pontos que necessita para selar o campeonato.

Já na Categoria Turismos, o já tricampeão nacional Luís Nunes rodou de forma a se perceber que quer o pleno de vitórias na categoria e na Divisão 1, tendo aqui atrás de si, Pedro Marques e Daniela Marques, ambos em Subaru Impreza. Foi 10 da geral e parte para o dia de amanhã, nas contas da categoria, com 3,5 segundos de vantagem sobre outro já titulado: Joaquim Teixeira.

Por seu lado, o transmontano do Cupra TCR não deu veleidades na Divisão 2, onde lidera isolado após este primeiro dia. Luís Silva (BMW M3) é segundo desta divisão e terceiro da categoria. Já Manuel Rocha e Sousa colocou o Cupra TCR no terceiro posto da divisão.

Quanto à luta na Divisão 3, onde o título está em aberto, soaram os alarmes para os lados do NSF Racing Team. Sérgio Nogueira chegou a Boticas com primazia no favoritismo quanto o título, mercê das quatro vitórias em seis possíveis. Um problema na caixa de velocidades do Renault Clio RS fez o piloto abandonar numa subida de treinos e na de prova e agora tem forçosamente que fazer tempos nas duas subidas de prova de amanhã, para poder se classificar nesta última tirada do campeonato.

Já Parcídio Summavielle, o outro candidato ao título, esteve sempre muito forte com o seu Renault Clio RS R3 da Uzo e estabeleceu sempre a melhor marca em todas as subidas do dia, liderando agora na frente de Carlos Silva, também num Clio RS, enquanto José Cardoso colocava o seu Citroen Saxo no terceiro posto da divisão.

Nos Clássicos, o flaviense Luís Delgado impôs o seu potente Ford Escort RS 1600, tendo 6,6 segundos de vantagem sobre o Ford Escort RS 2000 de José Pedro Gomes.

Parcídio Summavielle que, nesta rampa, decidiu competir em duas frentes, colocou o seu Datsun 240Z no terceiro lugar provisório deste campeonato.

De regresso ao campeonato, após algumas provas de ausência, Carlos Oliveira impôs a potência do Ford Sierra RS Cosworth nas lides dos Legends. E fê-lo sempre por larga margem sobre a demais concorrência. Quem mais perto chegou foi o Porsche Boxter de Rui Meireles que, na subida de prova, se quedou a 9,9 segundos de distância. O pódio provisório, após esta primeira refrega, fica completo com o terceiro posto de Gonçalo Janeira, sempre muito eficaz aos comandos do Citroen AX GTi.

Na Taça de Portugal de Montanha 1300, Tiago Santos impôs a sua lei, levando sempre o Citroen AX Sport ao triunfo em todas a subidas. Na de prova, deixou Marco Figueiredo (Toyota Starlet) a 9,9 segundos de distância. Também nos Clássicos 1300 o domínio foi total por parte de um dos protagonistas.

José Pedro Figueiredo (Datsun 1200) foi o mais rápido ao longo de toda a tarde e rodou na subida de prova 28,2 segundos mais rápido do que o Autobianchi A122 Abarth de Domingos Fernandes.

A jornada de amanhã, domingo, arrancará com nova sessão de “warm up” pelas dez da manhã. Depois, será tempo de mais uma subida oficial de treinos, antes das duas decisivas subidas de prova que fecharão o programa competitivo da última prova da temporada do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here