Hélder Silva é o novo rei no “teto” de Portugal Continental!

0
591

A vitória à geral do piloto da Power House nesta edição da Rampa Serra da Estrela/Covilhã não sofre qualquer contestação, com o poveiro a ser sempre o mais rápido ao longo de todo-o-fim-de-semana. Vítor Pascoal nos GT e Luís Nunes nos Turismo foram os mais fortes nas suas categorias.

Jornada de grande emoção, com lutas acesas em muitas das “batalhas” que se travaram nas diversas frentes em ação, marcaram a quinta prova da temporada.

O dia de domingo, decisivo para o arrumar das contas da classificação, foi vivido com presença de muito público, a exemplo do que já tinha acontecido na tarde de sábado.

O CAMI Motorsport esteve sempre sólido na sua batuta organizativa e os horários das subidas só foram prejudicados quando foi necessário proceder a demorados trabalhos de restabelecimento de todas as condições de segurança da pista, na sequência de um acidente aparatoso de Manuel Rocha e Sousa, felizmente sem qualquer consequência física para o piloto bracarense, embora provocando danos muito significativos no seu Cupra TCR.

Em termos desportivos, a luta pela vitória absoluta acabou por ser a menos intensa da temporada.

Hélder Silva e a Osella PA2000 EVO2 PA.30 da Power House estiverem sempre um “degrau” acima da concorrência. Basta dizer que foi o único piloto a rodar durante todo o fim-de-semana abaixo dos dois minutos e meia para cumprir os pouco mais de cinco mil e duzentos metros do traçado desta edição 2022 da Rampa Serra da Estrela/Covilhã.

“Foi uma rampa sem qualquer problema. A Osella esteve sempre perfeita e pude imprimir sempre um ritmo muito forte. Sabia que esta era uma prova muito importante para as contas do campeonato e viemos à serra da Estrela com o propósito de atacar a fundo. Foi o que fizemos e felizmente correu tudo bem. Julgo que esta é uma vitória totalmente merecida!” , afirmou no final o vencedor.

A vitoria isola-o no comando do campeonato absoluto, a três provas do fim, colocando-o assim numa boa posição para a renovação do título

José Correia teve um fim-de-semana atribulado. O piloto da Norma FC20, que chegava aqui na coliderança do campeonato, deu dois toques, teve alguns problemas mecânicos e conseguiu ainda salvar a “honra do convento” com o 3º lugar final e consequente recolha de bons pontos, que o mantêm na luta pelo título.

Destaque para o regresso das boas exibições de António Rodrigues.

A “Bala do Douro” teve um início de época parta esquecer, com problemas mecânicos no seu novo Silver Car EF 10 e um acidente violento na Penha. Mas, depois de uma exibição positiva na Falperra, o piloto duriense da NJ Racing/Lusimed está a subir de forma e de confiança e conquistou com todo o mérito um brilhante 2º lugar absoluto nesta quinta prova da temporada.

Também a melhorar substancialmente os seus níveis exibicionais está Sérgio Nogueira. O bracarense levou na Serra da Estrela a sua Osella Pa21S EVO a um bom 4º posto final.

O regressado João Fonseca voltou a provar porque é um dos grandes pilotos da modalidade. O covilhanense apareceu na “sua” rampa com o BRC CM05 Evo da FRPOWER e fez uma exibição sempre em crescendo, coroando-a com um triunfo natural entre os Protótipos B, sendo ainda quinto da geral.

Nesta Divisão B, Nuno Guimarães, líder pontual, colocou o Silver Car S2 da NJ Racing no 2º posto, tendo sido apenas cinco décimas de segundo mais rápido do que Joaquim Rino, terceiro no BRC BR49 Evo da Articimentos.

Vítor Pascoal foi à Serra da Estrela conquistar mais um importante triunfo entre os GT. Líder do campeonato, o piloto de Baião chegava a esta quinta prova depois de ter conhecido na Falperra o sabor da derrota pela primeira vez no ano.

Na Covilhã, Pascoal esteve sempre na linha da frente e nas subidas oficiais de prova imprimiu um andamento muito forte ao seu Porsche 991 GT3 CUP, colocando-se a salvo dos ataques que lhe foram movidos por Carlos Vieira e por Gabriela Correia.

Vieira alinhou nesta prova com um Porsche 997 GT3 CUP e logrou estar sempre em crescendo, começando a adaptar-se às particularidades da modalidade. Foi recompensado com um bom 2º lugar final, com a “Princesa da Montanha” a não escapar de um toque na segunda Subida de Prova que não só condicionou o tempo obtido, mas viria a impedir Gabriela Correia de estar na derradeira subida, fazendo-a cair para o 4º posto final entre os GT.

Com tudo isto, um sólido Pedro Silva, companheiro de equipa de Vítor Pascoal, chegou ao 3º lugar, conquistando um saboroso pódio com o seu Porsche 991 GT3 CUP.

Foi incontestável o domínio de Luís Nunes entre os Turismo.

Extraindo todo o potencial do seu Skoda Fabia R5, o tricampeão nacional da Categoria foi sempre o mais forte e voltou à liderança isolada do campeonato. Obviamente, dominou também a Divisão Turismo 2, onde foi secundado por Luís Delgado, noutro Skoda Fabia R5, com Carlos Gonçalves a levar o Mitsubishi Lancer EVO X da JC Group Racing Team ao último degrau do pódio.

O mau tempo obtido na subida de prova inaugural condicionou um pouco Joaquim Teixeira. Mesmo assim, o piloto do Cupra TCR voltou ao seu nível intenso nas subidas de domingo, vencendo claramente entre os concorrentes da Divisão Turismo 2 e sendo o 2º melhor da Categoria. Continua na discussão do titulo nacional reservado aos Turismo.

Na T2, o pódio ficou completo com Paulo Silva (Audi RS3 LMS) na segunda posição, cabendo a José Carlos Pouca Sorte (VW Golf R35)  garantir mais um excelente resultado na sua carreira, terminando no terceiro posto.

Na Divisão Turismo 3 voltamos a saborear uma luta sem quartel entre Bruno Carvalho e Parcídio Summavielle.

Summavielle impôs o seu Renault Clio RS R3 na 1ª Subida de Prova, mas Carvalho esteve muito forte nas duas subidas de prova de Domingo, superiorizando-se no final por apenas 0,691 milésimas de segundo.

O pódio final da T3 recompensou a consistência de José Borges, que rubricou um fim de semana sem erros aos comandos do seu Citroen C2 R2 e foi galardoado com o 3º lugar final.

Uma referência para a presença de um concorrente em cada uma das taças inclusas no regulamento do CPM JC Group.

Sérgio Mateus (Semog Troféu) rodou no único kartcross presente, com igual feito a ser assumido por João Saraiva, no monolugar Funspeed.

O Campeonato de Portugal de Montanha JC Group prossegue já dentro de duas semanas, com a realização da 7ª Rampa de Santa Marta. A prova duriense é organizada pelo Clube Automóvel da Régua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here