Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida: um palco magnífico com uma lista de luxo no arranque de mais uma época!

0
478

Quase 5 dezenas de inscritos ditam um plantel de luxo para a prova de abertura do CPM JC Group. Com grandes novidades no regulamento do campeonato e com a introdução da Taça de Portugal de Kartocross de Montanha, a Arrábida tem todos os ingredientes para ser uma prova emocionante.

Damas e Cavalheiros: liguem os motores!

E é caso para dizer: finalmente. Está na hora de vermos pilotos e máquinas brilharem no arranque da temporada 2021 do Campeonato de Montanha JC Group.

Depois de ter tido honras de fecho na temporada passada, o Clube de Motorismo de Setúbal é agora anfitrião da prova de abertura desta nova época, assinando a 30ª edição da Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida. Fernando Matias, o líder da agremiação setubalense, enfatiza “a enorme satisfação que sentimos por ter conseguido, com um tremendo esforço por parte do clube da autarquia de Setúbal e dos nossos patrocinadores, erguer mais esta edição. Foi muito difícil, mas está tudo preparado para proporcionarmos um excelente fim-de-semana, sendo enorme a nossa satisfação por uma vez mais, contar com uma lista de inscritos extraordinária!”.

Muitos e bons: as lutas pelo domínio vão ser acesas!

Na categoria Protótipos, são cinco os “guerreiros” que estão preparados para uma batalha épica. José Correia (Osella EVO 2 – PA 30) inicia na Arrábida a defesa do título que brilhantemente conquistou em 2020. O piloto e patrão do JC Group Racing Team terá opositores ferozes na dupla de pilotos da NJ Racing, que incluiu o vice-campeão de 2020 António Rodrigues (BRC CM 05 EVO) e o regressado Nuno Guimarães (SilverCar S2), o sempre veloz Hélder Silva, que volta a confiar no potente BRC BR 53, cabendo ao consagrado Joaquim Rino a grande novidade desta categoria: o piloto adquiriu um BRC B49 EVO e vem “com tudo” para o campeonato, assumindo ambição de o discutir taco a taco.

A Categoria GT conta com “os suspeitos do costume”. Regressam assim os grandes duelos de 2020, entre Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 Cup), Pedro Silva (Porsche 997 GT3 Cup) e Pedro Marques (Porsche 991 GT3 Cup). Pascoal quererá defender o seu título, cabendo a Silva e a Marques tentarem destronar o campeão. Pela amostra da época transata, iremos ter corridas muito discutidas.

É na Categoria Turismo que temos a grande “revolução” no regulamento do CPM JC Group. São agora três as Divisões onde os carros desta Categoria se inserem.

A Divisão 1 é reservada aos carros de quatro rodas motrizes e tem na Arrábida quatro protagonistas. Luís Nunes, campeão nacional em título da categoria, volta a confiar no potente Ford Fiesta ST R5 para repetir a dose de 2020, sendo certo que terá pela frente adversários de grande valia.

Na sua divisão, destaque para o regresso de José Pedro Gomes (Opel Astra OPC) e para a novidade da estreia do leiriense António Cruz Monteiro, aos comandos de um Peugeot 208 R5 T16. Ao trio junta-se Daniela Marques (Subaru Impreza), também ela felizmente de regresso às lides da Montanha.

A Divisão 2 esta reservada aos carros de duas rodas motrizes, com motores de cilindrada superior a 2000cc. São 5 os inscritos e entre eles destaque para Joaquim Teixeira (Cupra TCR) que, para além do favoritismo na sua divisão, é um “player” a ter em conta na luta pelo título da categoria, tendo sido vice-campeão na época transata e disputado o cetro até ao fim.

Também em Cupra TC, Manuel Sousa vai continuar a sua evolução, a exemplo do que sucederá com José Carlos Pouca Sorte (BMW M3). Está também de volta o AudiRS3 LMS de Paulo Silva, ficando a lista completa com Frederico Formiga, num Fiat Stilo JTD.

Finalmente, na Divisão 3, onde correrão os carros de duas rodas motrizes, com motorização até 2000cc, apresentam-se 7 pilotos na contenda.

Alberto Pereira, que foi campeão nacional em 2020, então conquistando o primeiro título Legends de Montanha, apresenta um Honda Civic Type R e, pela sua competitividade, assume claramente a posição de candidato, indo medir forças com outros nomes fortes da modalidade, entre os quais Parcídio Summavielle, sempre rápido aos comandos do Renault Clio R3 e de Sérgio Nogueira, o experiente bracarense que volta a confiar no Renault Clio RS, carro também escolhido pelo regressado Carlos Silva.

Trevor Strecht (VW Golf MKIII) estreia-se nestas lides, onde também quer brilhar o fafense Cláudio Batista, aos comandos de um Citroen DS3 R1.

O Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha JC Group contará com um plantel de grande nível, apresentando 7 inscritos na Arrábida. Estão de volta os craques do Caramulo Racing Team, Ricardo Loureiro e Fernando Salgueiro, como sempre confiantes na competitividade dos seus Ford Escort MKII e terão de medir forças com forte concorrência.

José Carlos Magalhães apresenta uma das grandes novidades da época, inscrevendo um Toyota Starlet Gr 5, sendo certo que na Arrábida o favoritismo terá de ir para o brutal Porsche Carrera RS de Mário Silva, com o consagrado piloto a estar, uma vez mais, presente numa das rampas que mais gosta. Junta-se a este naipe de luxo, Luís Moutinho (Ford Escort), Fernando Francisco (Ford Escort MKI) e Carlos Fava (VW 1303).

No que concerne à discussão das contas do Campeonato de Portugal de Legends de Montanha JC Group, com o campeão a ter migrado para outras lutas, a discussão do título está ainda mais aberta. José Carlos Magalhães, no BMW M3 da MNE Sport e Carlos Oliveira (Ford Sierra Cosworth RS) assumem algum favoritismo, que terão que provar frete ao Alfa Romeo de Bernardo Sá Nogueira e aos Citroen Saxo de Pedro Lança e Bruno Carvalho.

A Taça de Portugal de Kartcross de Montanha JC Group terá na Arrábida a sua estreia absoluta. São 3 os “bravos dos aranhiços” que vão discutir a vitória. Sérgio Mateus e Nelson Rocha tripularão kartcross da Semog, enquanto Nelson Andrade confia num AG 1000.Espetáculo é coisa que está garantida à partida!

Nas Taças de Portugal reservadas aos 1300cc, Francisco Milheiro (Peugeot 106) começa a defender o título de 2020, tendo como opositor Rui gama (Peugeot 106). Nos Clássicos, Daniel Rolo apresenta-se com o potente Datsun 1200 Coupé, tendo pela frente José Pedro Figueiredo Datsun 1200) e Eva Laranjeira, que mudou para esta luta, apresentando como argumento um Peugeot 205 Rallye construído pela MNE Sport.

O programa competitivo da edição 2021 da Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida inicia-se às 10.45 horas da manhã de sábado, com a primeira sessão de warm-up a dar tiro de partida para o galgar dos 3,1 kms do traçado. Quinze minutos depois do meio-dia será dado início à 1ª subida de Treinos Oficiais, estando marcada para as 14.30 horas a 2ª subida de treinos.

Às quatro e meia da tarde decorrerá a 1ª subida “a doer”, com a “armada” da Montanha a enfrentar o traçado da Arrábida já na discussão da primazia e da classificação, naquela que é a única Subida oficial de prova do primeiro dia de competição.

As lides competitivas recomeçarão as 9.45 de domingo, com mais uma sessão de warm-up. O segundo dia contém ainda a 3ª sessão de Treinos Oficiais (11.15) que, como habitualmente, antecederá a chamada “hora do tudo ou nada”.

Pela frente e para concluir em grande o evento, duas subidas oficiais de prova que, como habitualmente, se revelarão decisivas para o arrumar das contas deste arranque de temporada. Estão previstas, respetivamente, para terem início às 14.00 e 15.45 horas.

O programa contará ainda com uma Rampa Regional, que conta com 18 inscritos.

Excecionalmente, devido às enormes contingências provocadas pelo combate ao surto pandémico, não será realizada a cerimónia de distribuição de prémios, havendo lugar à entrega dos mesmo junto ao secretariado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here