Arrábida Dia 1: Só deu José Correia

0
1256

O campeonato de Portugal de Montanha JC Group 2021 arrancou em grande. Mais de quatro dezenas de pilotos responderam à chamada na que foi a 30ª edição da carismática Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida. O “MVP” da jornada foi José Correia que “limpou” a tabela de tempos, impondo-se nas quatro subidas realizadas, liderando a geral após a única subida de prova do programa.

A performance do piloto e patrão do JC Group Racing Team ganha especial relevo porque enfrentou uma concorrência forte, que o forçou a aumentar paulatinamente o ritmo, ao longo de toda a jornada. Começando por rodar no “warm-up” em 1:47,310, melhorou para 1:46.295 e 1:44,695, na 1ª e na segunda subida oficial de treinos, “voando baixinho” na derradeira vez que enfrentou hoje os 3,1 kms do traçado, cravando no cronómetro o fantástico tempo de 1:42,262, à média horária de 123,21 km/h!

Uma progressão de 5,1 segundos em 3100 metros, dando conta de que o campeão nacional em título arranca muito forte, estando preparado para lutar pela revalidação do cetro absoluto.

Mas deu para perceber que não será com facilidades. O regressado Hélder Silva foi que mais oposição tentou criar, revelando uma boa adaptação ao BRC BR53 que estreou no ano transato, mas que pouco rodou, na única prova que fez em 2020. Está rápido e consistente e terminou o primeiro dia a 1,8 segundos do líder, prometendo luta na jornada decisiva de domingo.

O pódio ficou completo com o BRC CM 05 Evo de António Rodrigues. Ciente das limitações do seu protótipo face ao duo da frente, o piloto da NJ Racing entregou-se à luta de forma firme e, aqui e ali, rodou mesmo para lá dos limites, tendo feito um pião numa das sessões. Na subida de prova, foi seguro e almejou garantir o terceiro tempo, a 7,4 segundos de José Correia.

Luís Nunes (Ford Fiesta ST R5) sai de sábado no 4º lugar absoluto e voltou a mostrar todo o seu talento, colocando-se numa liderança segura na Categoria Turismos, onde possuiu dois segundos de vantagem sobre Joaquim Teixeira (Cupra TCR), autor de um dia onde foi evoluindo até estar na luta pela liderança da categoria. O pódio dos Turismos incluiu o “rookie” António Cruz Monteiro que, na sua estreia no CPM JC Group, almejou estar entre os melhores, revelando rapidez aos comandos do Peugeot 208 T16 R5.

Pedro Marques surpreendeu a concorrência entre os GT. O piloto de Braga assinou o melhor tempo da sua categoria na subida de prova, colocando o seu Porsche 991 GT3 Cup no comando da categoria, possuindo cerca de 7 décimos de segundo sobre Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 Cup), estando Pedro Silva (Porsche 997 GT3 Cup) no terceiro posto, 4 décimos atrás de Pascoal. Vai ser renhida a luta pelo domínio nesta categoria, com os três pilotos separados por um segundo!

Um nome encantou todos quanto se estiveram na Arrábida e as dezenas de milhar que seguiram o “live streaming” oficial da prova nas redes sociais: Nelson Andrade.

O piloto madeirense colocou o seu AG1000 no 7º lugar absoluto da tabela de tempos da subida oficial de prova, no dia em que se estreou a Taça de Portugal de Kartcross de Montanha, competição que contou com a presença de mais dois pilotos.

O piloto da Pérola do Atlântico revelou um andamento à parte entre os “aranhiços”, estando na liderança com quase dez segundos de vantagem sobre Nelson Rocha (Semog), com este a deter um pecúlio de 7 segundos sobre o outro Semog, tripulado por Sérgio Mateus), terceiro colocado.

Entre os Clássicos, ninguém parece ter argumentos para parar o potente Porsche Carrera RS de Mário Silva.

O consagrado piloto enfrentou problemas mecânicos nas sessões de treino, mas, na hora da verdade, o carro alemão comportou-se em pleno e Mário Silva rodou quase cinco segundos mais rápido do que o seu mais direto adversário, Fernando Salgueiro, num dos Ford Escort MKII do Caramulo. Esta equipa reservaria anda o restante lugar do pódio provisório deste campeonato, ao colocar lá Ricardo Loureiro, em carro idêntico, 1,3 segundos mais lento do que o seu colega de equipa.

Nos Legends, Pedro Lança começou por dominar as duas subidas, mas o Citroen Saxo teve um problema mecânico na terceira subida e o piloto já não participou na subida de prova que fechou a jornada.

Quem aproveitou foi Bernardo Sá Nogueira (Alfa Romeo 156) que foi o mais rápido no momento mais importante, superiorizando-se por 1,2 segundos ao Ford Sierra Cosworth RS de Carlos Oliveira. O pódio provisório dos Legends ficou completo com José Carlos Magalhães. O resultado foi melhor do que o sucedido na subida mais importante, poiso piloto do BMW M3 Compact teve um toque que o fez perder muito tempo. Amanhã tem tudo para estar na luta.

« 1 de 24 »

Quanto às lides das taças até 1300cc, Francisco Milheiro (Peugeot 106) lidera na TPM, enquanto Daniel Rolo domina a seu belo prazer a competição dos clássicos, em condições normais, sendo impossível de alcançar, tal a competitividade que extrai do Datsun 200 Coupé.

As lides competitivas recomeçarão as 9.45 de domingo, com mais uma sessão de warm-up. O segundo dia contém ainda a 3ª sessão de Trenos Oficiais (11.15) que, como habitualmente, antecederá a chamada “hora do tudo ou nada”.

Pela frente e para concluir em grande o evento, duas subidas oficiais de prova que, como habitualmente, se revelarão decisivas para o arrumar das contas deste arranque de temporada. Estão previstas, respetivamente, para terem início às 14.00 e 15.45 horas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here