João Fonseca é “Leão” na Serra da Estrela

0
670

O piloto do Silvercar EF10 com as cores do Sporting Clube da Covilhã voltou a não dar hipóteses à forte concorrência, dominando por completo a Rampa Serra da Estrela Covilhã, terceira prova do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group 2021.

Qual predador de topo, João Fonseca voltou a provar toda a sua rapidez, que já lhe granjeou títulos e vitórias nesta desafiante modalidade. Num regresso pontual ao CPM JC Group, o covilhanense impôs um andamento tão forte que foi impossível de contrariar por parte dos seus adversários, numa prova onde o CAMI Motorsport assinou uma organização de grande nível.

Fonseca resolveu as contas da vitória logo com os tempos da primeira e segunda subida oficial, ficando a salvo de qualquer ataque na derradeira subida. Como melhor marca do fim-de-semana, o piloto do Silvercar colocou no cronómetro 2:46.984, sendo ainda o único a rodar regularmente abaixo do segundo 50.

Desta feita isento de problemas no BRC BR53, Hélder Silva logrou suplantar José Correia (Osella PA2000 EVO2), garantindo o segundo posto absoluto e relegando assim o líder do campeonato para o último degrau do pódio, encurtando a distância pontual no campeonato.

O Top 5 ficou completo com o 4º lugar do espanhol Cesar Rodriguez (Osella PA 21JRB) e a 5ª posição de António Rodrigues (BRC CM05 EVO), com este a uma vez mais, não dar veleidades na luta pelo domínio na Divisão Protótipos B.

Nesta luta particular da divisão, saliência para a prestação de Joaquim Rino, já mais seguro com o seu novo BRC BR49 EVO que, nesta jornada, não registou problemas técnicos. Já Nuno Guimarães voltou a ter uma prova atribulada, tendo mesmo que renunciar à última subida do fim-de-semana, com problemas no Silvercar S2. O 3º posto na divisão foi, mesmo assim, um resultado positivo.

Pedro Marques fez uma corrida solitária entre os GT. Sem opositores nesta prova, nem por isso o bracarense “levantou o pé” e levou o seu Porsche 991 GT3 CUP a rodar regularmente dentro do Top 10 absoluto, terminando num excelente 9º posto final.

Nas contas dos Turismos, Luís Nunes, Joaquim Teixeira e Parcídio Summavielle saíram da Covilhã com o doce sabor de mais uma vitória arrecadada nas suas divisões.

Nunes impôs de forma sólida o seu Ford Fiesta ST R5 na Divisão 1, na frente de Francisco Morgado (Mitsubishi Lancer EVO VII) e de Daniela Marques (Subaru Impreza WRX STi).

O piloto de Valpaços foi ainda o vencedor da Categoria e 8º da geral, mercê de mais um recital de condução.

Já Joaquim Teixeira conseguiu suplantar a adversidade técnica que o levou a rodar lento na subida inaugural de prova, imprimindo um andamento endiabrado nas outras duas subidas oficiais do programa, que o levaram a colocar o Cupra TCR no topo da divisão, de forma totalmente merecida.

Atrás de si, o regressado Luís Silva, levou o BMW M3 ao 2º lugar, cabendo a Manuel Rocha e Sousa (Cupra TCR) assegurar o 3º posto final.

Quanto à vitória de Parcídio Summavielle na Divisão 3, os factos dizem tudo: o piloto foi sempre o mais rápido e ninguém chegou perto do ritmo que impôs no Renault Clio RS R3 da Uzo.

Atrás de si, Sérgio Nogueira (Renault Clio RS) logrou deter os ataques de Alberto Pereira e assegurou a segunda posição, enquanto o edil mesãofriense conseguir finalmente ter o Honda Civic Type R em condições competitivas, sendo terceiro com todo o mérito.

No Campeonato de Portugal Legends de Montanha, não houve história no que concerne ao triunfo. Manuel Pereira impôs o seu potente Mitsubishi Lancer EVO VI, sendo sempre claramente mais rápido do que toda a concorrência.

Numa primeira fase foi Ricardo Miguel, num Peugeot 106, a cimentar a candidatura ao 2º lugar, mas Carlos Oliveira almejaria reclamar tal posição, depois de resolver alguns problemas mecânicos no seu Ford Sierra Cosworth RS. Ricardo Miguel acabaria no 3º lugar, que se transformou num justo prémio para a sua exibição.

Já no Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha, conhecemos o terceiro vencedor diferente em outras tantas provas.

A jogar em casa, Flávio Saínhas premiou este seu regresso ao campeonato com mais uma exibição colossal aos comandos do “diabo amarelo”, cognome justificado do seu Ford Escort MKI. Foi paulatinamente baixando os tempos e acabou por dominar a fase decisiva da prova, rematando um triunfo que não sofre qualquer contestação.

Atrás de si, Fernando Salgueiro e Ricardo Loureiro foram tentando desalojar Saínhas do comando, mas tiveram que se contentar com os restantes lugares do pódio, sendo Salgueiro a almejar recolher a 2ªposição, na frente de Loureiro. Mesmo assim, esta foi uma excelente operação pontual da dupla de pilotos dos Ford Escort MKII.

Quanto às competições reservadas aos 1300cc, Tiago Santos suplantou os problemas de caixa de velocidades que foram afetando o seu Citroen AX Sport e alcançou a primeira vitória da temporada na TPM1300. Rui Gama (Peugeot 106) foi 2º e Marco Figueiredo colocou o seu Toyota Starlet no 3º lugar.

Já nos Clássicos 1300, foi épica a vitória de Eva Laranjeira.

A piloto da MNE Sport dominou a primeira subida oficial e, quando tudo indicava que teria uma vitória tranquila, sofreu um problema mecânico que a fez abandonar a 2ª subida oficial, ficando forçada a registar um tempo na terceira para se classificar.

Nem tremeu. Galgou os 5,24 kms do traçado e registou um tempo que lhe permitiu, no agregado final, vencer, conquistando assim a segunda vitória da sua curta carreira. José Pedro Figueiredo (Datsun 1200) deu alguma luta à vencedora e foi 2º, na frente de Domingos Fernandes, cuja regularidade foi premiada com mais uma presença no pódio. O Campeonato de Portugal de Montanha JC Group ruma agora a norte. È já dentro de quinze dias que decorrerá a quarta prova da temporada. Será a Rampa da Penha Paisagem Protegida, organizada pelo Demoporto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here