Rampa da Penha: António Rodrigues na frente por 10 mílesimas!

0
1211

No fecho do primeiro dia de competição, a “guerra” pelo triunfo absoluto está “ao rubro”. Depois de ter dominado as 3 subidas de treinos Hélder Silva (BRC BR53) viu o piloto do BRC CM05 EVO da Nj Racing suplantá-lo por uma diferença ínfima na única subida “a doer”.

Pela amostra da “1ª dose” tomada nesta jornada de sábado, a quarta prova do campeonato de Portugal de Montanha JC Group tem tudo para ser uma “vacina” perfeita para todo o suplício sofrido pela organização até conseguir assegurar a realização da prova.

Organização eficaz, plantel rico em qualidade e quantidade e bom comportamento por parte de todos quantos estiveram no local, atestam que o evento tinha todas as condições para ser aquilo que está a conseguir demonstrar entregar: um espetáculo fantástico e em total segurança.

Em termos desportivos foi um dia inesquecível. Batalhas sem tréguas e de intensidade máxima, seja na discussão absoluta, seja nas categorias e divisões.

Um nome sai para o descanso em grande: António Rodrigues. Aos comandos do BRC CM05 EVO da NJ Racing, preparado pela FR Power e pertencente à Divisão Protótipos B, o médico dentista de Santa Marta de Penaguião esperou pela “Hora H” para brilhar.

Foi sempre rápido nas subidas de treinos, mas sem parecer poder incomodar Hélder Silva que, num BRC BR53 da Divisão Protótipos A, parecia se encaminhar para um domínio total da jornada, sendo o mais rápido nas 3 subidas de treinos. E até foi novamente muito rápido na subida oficial, mas viu António Rodrigues “voar” nos 2,8 quilómetros do traçado e cravar 1:28,349 no cronómetro, batendo o poveiro por 10 milésimas de segundo. A luta para amanhã promete!

3º lugar na subida a contar para a classificação assegurado por José Correia (Osella PA2000 EVO2-PA 30), que rodou a 2,1 segundos do duo da frente.

Na Divisão Protótipos B, Nuno Guimarães (SilverCar S2) foi o segundo melhor, rodando em 4º da geral, na frente de Joaquim Rino (BRC BR49 EVO), 3º da divisão e 6º da tabela absoluta.

Pelo meio, o 5º lugar da geral foi assegurado por Luís Nunes, uma vez mais dominante na Categoria Turismos e, logicamente, na Divisão Turismos 1, onde está muito distante dos demais. Aqui, é José Pedro Gomes (Opel Astra OPC) que termina o 1º dia em 2º, enquanto Francisco Morgado (Mitsubishi Lancer EVO VII) está com 3º tempo.

A batalha dos Porsche 991 GT3 CUP da Categoria GT foi favorável nesta primeira subida de prova a Pedro Marques, que bateu Vítor Pascoal por apenas 3 décimos de segundo, tendo os dois assegurado, respectivamente, o 7º e o 8º posto da geral.

Logo atrás, no 9º lugar da geral, mais um dos pilotos em evidência. Joaquim Teixeira esteve endiabrado aos comandos do Cupra TCR e levou de vencida a forte concorrência na Divisão turismos 2, nesta jornada inaugural. Tem atrás de si nesta divisão Luís Silva (BMW M3), a 3,8 segundos, sendo o regressado Rui Pinheiro a aparecer num excelente 3º lugar.

O Top 10 absoluto ficou completo com o “fenómeno” Nelson Andrade. O piloto madeirense do kartcross AG1000 continua a dar recitais de condução e a bater-se por um lugar entre os melhores do campeonato.

6 milésimas de segundo. Leva mais tempo a escrever do que o tempo real que significa. Eis a diferença entre primeiro e segundo na Divisão Turismos 3 após a primeira subida de prova. Foi mais um novo episódio do “duelo de titãs” que Sérgio Nogueira e Parcídio Summavielle estão a protagonizar desde o início da temporada, aos comandos dos seus Renault Clio RS.

Nogueira foi o mais rápido e vai para o descanso na liderança, mas tudo pode acontecer.

No 3º posto da divisão, está um motivado Alberto Pereira, cujo Honda CIvic Type R apareceu aqui na Penha com um nível de andamento muito superior ao que tinha ostentado em provas anteriores.

A estrear um Toyota Carina E 2.0 GT-i, o líder do campeonato de Portugal Legends de Montanha José Carlos Magalhães foi o mais forte nesta luta particular, numa jornada onde quem mais perto dele rodou foi Gonçalo Antunes (Citroen AX GTi). O 3º melhor após a única subida de prova foi Renato Piairo, também num Toyota Carina E.

Quanto aos Clássicos, nova “dose” da luta entre os homens do Caramulo Racing Team. A dupla dos Ford Escort MKII foram alternando no alto da tabela de tempos, mas, na subida mais importante, Fernando Salgueiro foi mais forte do que Ricardo Loureiro, por 1,5 segundos. Atrás dos dois, o terceiro posto é assegurado, após o dia de arranque, por José Dinis, num Ford Escort MKI.

A TPM 1300 registou 6 presenças neste primeiro dia na Penha e um nome se salientou: Armando Freitas.

Aos comandos de um Toyota Starlet que evidencia um excelente nível de preparação, o piloto levou de vencida a forte concorrência e vai para o descanso antes da jornada decisiva no comando, com segundo e meio de vantagem sobre Leonel Brás, de regresso a esta Taça com o seu Citroen AX Sport. Francisco Milheiro realizou uma boa subida de prova e colocou o Peugeot 106 no 3º lugar, a 2,5 segundos do comandante.    

Entre os Clássicos 1300, o dia correu de feição a Eva Laranjeira. A piloto do Peugeot 205 Rallye está cada vez mais forte aos comandos do Peugeot 205 Rallye e foi progressivamente melhorando os seus tempos, terminando a subida de prova com mais de 22 segundos de vantagem sobre a concorrência.

Destaque para o facto de Domingos Fernandes (Autobianchi A112) ter alcançado o melhor tempo numa das subidas, acabando o dia na segunda posição.

O menu competitivo dominical terá início às dez da manhã, com o warm up 2, com os concorrentes do CPM JC Group a realizarem mais uma subida oficial de treinos, antes das duas subidas finais de prova que, como habitualmente, serão decisivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here