Carlos Silva perto do pódio na Rampa da Penha

0
133

Cada vez mais adaptado ao comportamento do Renault Clio RS, Carlos Silva está cada vez mais  próximo de poder subir ao pódio, e a verdade é que o piloto de Braga está cada vez mais rápido, e fruto disso foi o embate que teve do lado direito no final de uma das subidas de prova, cujo impacto foi violento, mas felizmente o piloto nada sofreu e o carro pode prosseguir em prova.

Mas Carlos Silva, chega à Rampa da Penha, apostado em lutar por uma boa posição, começando logo na subida da warm up 1 , por fazer um tempo de 1.56.318 à média de3 86,03 km/h, sendo logo o 6º classificado na sua categoria de Turismos. Depois na 1ª subida oficial de treinos, Carlos Silva acabaria por piorar o seu  tempo,  tendo feito toda a rampa da Penha em 1.57.264 à media de 85,06 km/h, sendo o 7º na sua categoria. Chegados à 2ªsubida oficial e treinos,  o piloto consegue melhorar de forma substancial o tempo feito anteriormente com 1.56,729 à média de 85, 73 km/h, saltando assim para a 4ª posição na sua categoria, mas depois com a disputa da 1ª subida oficial de prova, Carlos Silva  “arregaça mas mangas” e faz um tempão, qualquer coisa como 1.44.873 à média de 95,42 km/h, passando a ser o 4º na categoria.

Depois duma noite de descanso, no domingo de manha, bem cedo, Carlos Silva e o seu Renault Clio RS estão na linha de partida da warm up 2 da edição deste ano da rampa da Penha, onde depois de ter feito toda a rampa fica com um crono de 1.48.200 à média de 92,49 km/h, mantendo a 4ª posição na categoria  .Mas seria na  derradeira subida de treinos que Carlos Silva teve azar, pois segundo a explicação do piloto “ estava tudo a correr bem, vinha bem rápido, acredito que ia bater o meu tempo anterior, de 1.44, só que  nas ultimas duas curvas onde cheguei que nem uma bala, ao reduzir para a 4ª velocidade, cometo um erro e passo para 6ª, e então aí já não houve tempo para nada, foi travar a fundo, e mesmo assim vim a bater com o lado direito contra uma árvore, e ai pensei que estava tudo acabado, mas a verdade e que o carro continuou a rodar e comecei a verificar que poderia haver danos consideráveis, mas a verdade é que o carro estava a funcionar e assim trouxe o Renault Clio até à minha assistência, e foi aí que tomei conhecimento  dos estragos, foi uma batida forte, confesso que me assustei, fiz o que estava ao meu alcance.  Depois de sair do carro, e ver como estava o Renault Clio, vi que tinha lá grandes estragos, mas que dava para continuar.  No meio de todo este azar até tive sorte, pois a pancada surge entre a porta do lado direito e o para lamas atras, na qual com a forte pancada o mesmo não chegou a recuar muito, pois nem sequer tocou no rol bar.  Mesmo assim a minha equipa de assistência viu o que foi possível reparar,  e confesso que fui para baixo para dar inicio à 2ª segunda subida oficial de prova um bocado curioso,  para ver o que mudou no comportamento do carro, e dar Graças a Deus por ser  só  aquilo, e que o importante era estar em  prova “.

Mas na 2ª subida oficial de prova, Carlos Silva reparou que em nada tinha alterado o comportamento do carro, e mesmo assim faz um excelente tempo de 1.44.549 à média de 95,72 km/h, sendo o 3º mais rápido na categoria. Mesmo assim o piloto de Braga reservou-se para a derradeira subida, onde volta a bater o seu tempo anterior tendo feito toda a rampa da Penha em 1.44.207 à média de 96, 03 km/h, batendo assim o seu crono anterior, deixando o piloto feliz. No  final depois de colocar o Renault Clio RS no parque fechado, deu um grande suspiro à nossa frente e logo nos disse “ está cumprido, graças a Deus há estragos que vão ser agora arranjados, mas no meio de todo este infortúnio correu bem, Deus estava lá em cima….depois  na descida ter verificado que nada  de anormal estava no carro, comecei logo a pensar tentar lutar pelo último degrau do pódio, e se assim pensei, assim o fiz, mas infelizmente não deu parta bater o Honda Civic Type R do Dr. Alberto Pereira que teve também o azar de bater, mas as diferença eram mínimas mas não deu, mas estou feliz, bati forte, o carro está bem, e depois foi continuar e melhorar os meus tempos e por muito pouco o meu Clio RS não foi fazer companhia aos Clios  do Sérgio Nogueira e do Parcidio, mas vamos lá ver como vai correr a próxima prova na Rampa Santa Marta, a minha adaptação está a correr bem, estou mais confiante, mais rápido, vamos agora neste espaço de tempo consertar o carro, para estarmos em Santa Marta para lutar pela tão almejada posição no pódio”, conclui Carlos Silva.

CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA TURISMO

1º Sérgio Nogueira – Renault Clio RS

2º Parcidio Summavielle – Renault Clio RS

3º Alberto Pereira – Honda Civic Type R

4º CARLOS SILVA – RENAULT CLIO RS

5ºFrancisco Vieira Leite – Toyota Corolla T Sport

JBVA ASSESSORIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here