Hélder Silva conquista o Caramulo

0
499

E vão três vitorias consecutivas para o piloto poveiro. Cada vez mais rápido com o seu BRC BR 53, Hélder Silva dominou a 30ª Rampa do Caramulo, numa jornada marcada pela “roleta” das condições atmosféricas e que entregou já alguns dos títulos em discussão neste.

A jornada de domingo da prova organizada pelo Targa Clube serviu um “prato” climatérico assaz variado: do nevoeiro matinal que condicionou os horários, ao vento, chuva e frio, intervalados por algum sol, tudo transformou o dia num desafio acrescido para pilotos e equipas, quer na abordagem ao traçado, quer nas escolhas de afinações e de pneus.

Uma palavra para a organização que, ao longo de todo o fim-de-semana, almejou construir uma prova de grande nível em todos os seus aspetos, provando uma vez mais a qualidade atual deste campeonato.

Em termos desportivos, o destaque vai obrigatoriamente para a justa vitória absoluta de Hélder Silva. O poveiro não deu hipótese à concorrência mais direta e foi o mais rápido ao longo de todo o fim-de-semana. O seu melhor tempo acabaria por ser o da 1ª subida de prova no sábado, com 1:19.639, à média horária de 128,83 km/h, para no domingo rematar a vitória logo na 2ª subida oficial, terminando com uma vantagem de 3,3 segundos sobre o atual campeão José Correia. Este foi 2º, mas nunca teve a sua “barchetta” Osella PA2000-Evo 2 nas melhores condições ao longo de toda a prova, tendo de se conformar com mais um pódio.

De volta aos triunfos está António Rodrigues. Venceu de forma clara entre os Protótipos B, resolvendo de forma quase decisiva as contas deste título, com o piloto do BRC CM05 Evo da NJ Racing a ainda almejar reclamar mais um pódio absoluto sendo terceiro, a 8,6 segundos de Silva. Entre os Protótipos B, “dobradinha” para a NJ Racing, mercê do 2º posto de Nuno Guimarães (SilverCar S2), cabendo a Joaquim Rino levar de forma sempre sólida o BRC BR49 Evo ao 3º lugar final.

Os 5 protótipos reservaram todos os lugares do top cinco absoluto final.

Na Categoria GT, Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 CUP) chegou ao terceiro triunfo da época, mas o 2º lugar de Pedro Marques, em carro idêntico, fez o bracarense manter o comando da tabela pontal, estando claramente às portas do título.

O Lamborghini Huracan Super Trofeo de Sérgio Matos completou o pódio, com o piloto da Constálica a revelar um bom andamento nesta sua estreia nos GT.

O Caramulo entregou o primeiro título nacional da temporada: Luís Nunes levou ao seu Ford Fiesta ST R5 ao “tri” na Categoria Turismos, saldando ainda as contas da Divisão Turismos 1.

Ao triunfar no Caramulo o “Foguete de Valpaços” atingiu seis vitórias em 6 provas e a glória incontestável, com um duplo justo cetro a aumentar ainda mais o seu já rico palmarés.

Nesta sexta tirada, foi secundado na sua divisão pelo regressado António Cruz Monteiro (Peugeot 208 T16 R5), segundo sem oposição, sendo de realçar que Daniela Marques conquistou mais um pódio ao colocar o Subaru Impreza WRX no 3º lugar.

Na Divisão Turismos 2 foi também tempo de consagrar Joaquim Teixeira, que rematou a conquista do cetro. A vitória que alcançou no Caramulo foi a sexta da temporada, vincando a hegemonia total na divisão do piloto do Cupra TCR da JT59 Racing Team/Bompiso que logrou ainda e uma vez mais ser segundo nas contas da Categoria.

José Carlos Pouca Sorte (BMW M3) esteve sempre muito rápido e foi recompensado com um excelente 2º lugar na divisão, na frente de Paulo Silva (Audi RS3 LMS), terceiro colocado.

O duelo “mata-mata” na Divisão 3 ficou marcado pela quarta vitória da temporada de Sérgio Nogueira.

O bracarense do Renault Clio RS esteve sempre muito forte e deu no Caramulo aquilo que pode ser o passo decisivo para conquistar a divisão no final do campeonato, porque agora vai para a última prova da época com duas vitórias de vantagem sobre Parcídio Summavielle (Renault Clio R3), ficando numa posição de grande vantagem face ao seu adversário.

O pódio da divisão ficou completo com Alberto Pereira (Honda Civic Type R). O Edil mesãofriense rodou sem problemas e mereceu o 3º lugar final.

A 30ª Rampa do Caramulo assinalou o regresso dos monolugares à Montanha. E em boa hora se criou a Taça de Portuga de Monolugares de Montanha, pois o jovem Miguel Matos deu um recital de condução na rampa, tripulando um GRIIIP G1-17 de forma eficaz que, numa tabela de tempos global, o fez estar entre os três mais rápidos.

Venceu logicamente a TPMM no Caramulo e deixou “água na boca” para vermos mais monolugares no futuro próximo a competir nesta modalidade.

Já Sérgio Mateus assinou uma boa exibição com o seu Semog Troféu e triunfou na competição reservada à Taça de Portugal de Kartcross de Montanha.

Manuel Pereira venceu facilmente nos Legends e Fernando Salgueiro triunfou “em casa” nos Clássicos

As lides do Campeonato de Portugal Legends de Montanha foram tranquilas, com o vencedor “anunciado” a provar o total favoritismo.

O binómio que Manuel Pereira forma com o seu potente Mitsubishi Lancer EVO VI não permite, em circunstâncias normais, qualquer oposição e o facto voltou a ser verdade nesta sexta prova da temporada.

Brilhante 2º lugar para Gonçalo Janeira. O piloto do Fundão esteve muito sólido com o Citroen AX e levou de vencida José Carlos Magalhães. Mas o 3ºposto alcançado pelo piloto da MNE Sport, que utilizou desta feita o Toyota Carina E GT 2.0, acabou por ser uma excelente operação pontual para consolidar a liderança e está às portas do título.

Já no Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha, Fernando Salgueiro, mercê de uma exibição sem erros e sempre assente na rapidez, assinou um triunfo justo e que se transforma num salto enorme a caminho do título para o piloto do Ford Escort MKII.

Flávio Sainhas colocou o seu Escort MKI na segunda posição, com Ricardo Loureiro (Ford Escort MKII) a voltar a viver uma prova atribulada, mas que, pelo menos, lhe permitiu assegurar o 3º lugar final nos Clássicos.

Eva Laranjeira é a nova “rainha” dos Clássicos 1300 e Francisco Milheiro está de regresso às vitórias

E está resolvida a questão na Taça de Portugal de Clássicos de Montanha 1300. Eva Laranjeira e o seu Peugeot 205 Rally, da MNE Sport, construiu na Rampa do Caramulo um tranquilo quinto triunfo consecutivo na época. Com esta quinta vitória, a que junta um 2º lugar na prova inaugural do campeonato, a piloto de Setúbal chegou ao seu primeiro título nacional, e logo apenas na sua segunda época competitiva a tempo inteiro.

Eva foi sempre a mais rápida na sua competição, rodando em tempos completamente inacessíveis para os seus mais diretos adversários. E uma vez mais foi José Pedro Figueiredo, em Datsun 1200, a chegar mais perto da ‘Dama de Aço’, mas tendo de se contentar com o segundo lugar e o pódio nos Clássicos 1300, que ficou ‘fechado’ por Domingos Fernandes, com mais uma boa prestação aos comandos do Autobianchi A112 Abarth.

Francisco Milheiro e o seu Peugeot 106 estão de regresso às vitórias na Taça de Portugal de Montanha 1300. O jovem vimaranense realizou uma das suas melhores exibições da época, senão a melhor, ao rodar em tempos fora de série, que o fez bater pilotos com carros mais potentes.

Milheiro dominou todas as subidas na TPC 1300 e chega a um triunfo que o faz consolidar ainda mais a sua liderança na tabela pontual, sendo por isso o grande favorito a renovar o título no fecho desta época.  Segunda posição para o Toyota Starlet de Marco Figueiredo e destaque para o primeiro pódio da curtíssima carreira da jovem Daniela Ferreira. A covilhanense do Citroën C1 da FR POWER estava apenas na sua terceira prova enquanto piloto de montanha.

O Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, vai agora “a banho”, com um merecido interregno de verão e voltara só a 18 e 19 de setembro, com a segunda visita da Família da Montanha a Boticas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here