Eva Laranjeira é a nova “rainha” dos Clássicos 1300!

0
400

A piloto de Setúbal fez aquilo que se propunha na 30ª Rampa do Caramulo; vencer pela quinta vez consecutiva na Taça da Portugal de Clássicos de Montanha 1300 e, dessa forma, garantir desde já o título da competição, naquela que foi apenas sua segunda época completa na Montanha!

Era uma espécie de “tempestade perfeita” já anunciada. Eva Laranjeira foi à Rampa do Caramulo garantir de forma imperial o seu quinto triunfo da temporada, mostrando mais uma vez todo o seu talento e a maneira como “trata por tu” o Peugeot 205 Rallye.

Desde as primeiras subidas na prova do Targa Clube a piloto da MNE Sport mostrou ao que ia deixando bem claro que não iria permitir quaisquer veleidades aos seus mais diretos adversários.

Totalmente focada nos seus objetivos, a ‘Dama de Aço’ logo no dia de sábado colocou a concorrência a considerável distância, lançando-se decididamente para uma vitória no domingo e consequente cetro que não deixou dúvidas a ninguém, fazendo também história com o primeiro título da sua, ainda, curta carreira, que a deixou “simplesmente radiante!”.

Já como campeã, Eva Laranjeira não escondia a profunda alegria que a assolava; “Estar mais feliz é impossível. Estou muito contente com a concretização do objetivo que tracei e que consegui alcançar nesta rampa. E por isso não podia estar mais feliz. Quando atingimos os nossos objetivos não temos outro sentimento se não ficarmos com uma felicidade plena e desfrutar do momento!”.

A piloto da MNE Sport refere também que esta Rampa do Caramulo teve duas facetas diferentes entre os dois dias de prova, sobretudo devido à meteorologia. “No sábado foi completamente diferente de domingo, até pelas condições climatéricas que e que nos obrigou a uma atenção redobrada. Mas senti-me bem, forte, segura quer com o piso seco, quer no molhado”, sublinha.

Eva Laranjeira diz-se “muito orgulhosa dos tempos que consegui fazer, do que consegui alcançar”, enfatizando que conseguiu “superar as expetativas que trazia para esta rampa. No domingo foi um resultado um bocadinho diferente, mas aquilo que estava ajustado às condições que tínhamos, devido à chuva, com um traçado molhado. Por isso adaptei-me às condições que tínhamos, para garantir que chegada ao fim, que cumpria os meus objetivos e ser campeã!”.

Com o título garantido, a piloto de Setúbal já vai para a derradeira prova da temporada de montanha mais descontraída, e mais centrada e desfrutar ao máximo a condução do Peugeot 205 Rallye, por forma a que a Rampa de Boticas seja para si e para a equipa uma grande e merecida festa de consagração.

FONTE: VEDDA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here