Garra e querer: Daniela Ferreira suplantou tudo na Falperra!

0
303

Nem o mais violento toque da sua curta carreira fez a “Guerreira da Serra” baixar os braços. Com a ajuda preciosa da FRPOWER, Daniela Ferreira voltou a pontuar de forma sólida e continua firme no Top 5 do CPM1300.

Braga, domingo, 8 e pouco da manhã.

Galgava Daniela Ferreira já a segunda parte dos 5200 metros da 41ª Altice Rampa Internacional da quando a negociar uma direita rápida, o Citroen C1 alargou um pouco a trajetória e, num ápice, a jovem piloto da Covilhã viu o pequeno carro francês bater nos rails dos dois lados da pista, parando já no miolo da curva à esquerda seguinte.

As imagens do direto televisivo deram logo conta de um profundo dano na parte dianteira esquerda, com todos os aficionados a darem por encerrada a estreia de Daniela Ferreira na prova.

Com a garra “vulcânica” que lhe é reconhecida, foi ver a covilhanense de celular na mão para avisar Rui Ferreira, “patrão” da FRPOWER, do estrago no C1, com todos a considerarem que as imagens do carro no reboque seriam as últimas do fim-de-semana.

Assim não foi. Mas é melhor conhecer os contornos da estória na primeira pessoa:

“No domingo, como eu sou uma pessoa que nunca arrisca em treinos, porque preciso de pontuar e ter o carro bom nas de prova, ia devagar, mas infelizmente quase a chegar ao topo da rampa o carro entrou na valeta. Ainda tentei virar o volante para o tirar de lá, mas entrei em despiste e foi tudo muito rápido, com a falta de experiência a não ajudar muito nesta situação”, lembrava Daniela Ferreira que considera ter sido “o momento mais difícil de sempre, sair do carro e ver o estado dele, foi horrível. Como dizia um comissário: nunca vimos um piloto chorar tanto por causa do carro!”.

Daniela Ferreira “não conseguia sossegar porque sabia que não ia rápido, se fosse na de prova compreendia melhor. Só pensava que já não corria mais, que era impossível ter o Citroen C1 pronto, mas a equipa foi fenomenal!”.

Em tempo recorde e incluindo uma viagem relâmpago a Santo Tirso para ir buscar peças, a FRPOWER conseguiu colocar o C1 pronto para as duas subidas de prova, com Daniela Ferreira a corresponder, conseguindo terminar, classificar-se e pontuar de forma significativa, mantendo o seu lugar entre os 5 primeiros do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group.

No fecho da jornada, Daniela Ferreira estava feliz:

“Foi muito importante voltar ao volante do Citroen C1, não para voltar ao meu nível habitual, pois isso não conseguia, mas sim para perder o medo com que fiquei pelo acidente.  Só posso agradecer à minha assistência FRPOWER, ao Ruizinho acima de tudo, ao Armando Freitas, que arranjou material para o carro, às equipas de assistência de outros colegas que ajudaram na reparação do carro, todos os que estiveram envolvidos e que me ajudaram a voltar a pista. Foi incrível!”.

A talentosa jovem piloto saiu da cidade dos Arcebispos “com vários ensinamentos, que vou guardar sempre. Agora vamos rumar a Serra da Estrela, para dar tudo em casa. Uma guerreira nunca desiste!”, terminando a agradecer “aos meus patrocinadores Município da Covilhã, Energy-Bullets Portugal, Tupperware Portugal, Gonçalo Amaral, José Fortunato, Valvoline Moto Clube Covilhã LOBOS DA NEVE, Graph&co e FRPOWER”.

FONTE: VEDDACOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here